(21)99125-6012

História do Jardim Sulacap

Olhar para trás, tirar algo de bom e seguir em frente


Aos olhos das pessoas que não moram no bairro, o Jardim Sulacap é um bairro residencial tranquilo, agradável, calmo, digno, organizado e verde. Eles têm razão: é um bairro planejado, com projeto urbanístico inspirado no conceito de bairro-jardim. 
Nos anos de 1940, a empresa Sulacap começou a transformar o último resquício da Fazenda dos Afonsos em um bairro-jardimA engenharia, arquitetura e a natureza em um diálogo amigável proporcionou um ponto de equilíbrio entre ocupação urbana, respeito ao meio ambiente e foco nas pessoas.


O coração do bairro Jardim Sulacap, anos 60. Uma nova centralidade – modelo que passou contribuir para minimizar deslocamentos, inspirando, inclusive, outras localidades e, além disso, proporcionando qualidade de vida a seus moradores e usuários.
Além da perspectiva formada pela natureza ao redor, como um cinturão verde, a riqueza de praças ao alcance de uma caminhada, a proximidade entre a vida silvestre e a vida urbana e o modo de vida mais leve, tranquilo e saudável.
Portanto, a sustentabilidade foi a inspiração e é hoje para muitos sulacapenses.



O bairro foi fundado em 25 de janeiro de 1945 e o projeto urbanístico inicial cobria 600 hectares, com 45 ruas e 21 praças, parques e jardins.
Os lotes aos poucos foram ganhando vida e o Jardim Sulacap foi se tornando uma realidade. 
O dimensionamento generoso de vias e das calçadas, canteiros centrais, casas com quintais, cinturão verde ao redor e várias praças procurou unir traços da vida urbana e rural.
O Jardim Sulacap foi reconhecido como bairro oficial no ano de 1981, com o Decreto n° 3.158 de 23/07/1981.

Quem vê o Jardim Sulacap hoje não imagina como era a região há 50, 100, 200, 300, 400 anos atrás.
Escravidão, amor, intolerância, perseguição do Santo Ofício aos moradores cristãos-novos, solidariedade, intrigas, tecnologias agrícolas sustentáveis de 1800 (hoje consideradas exemplares), briga por causa de terras nos anos de 1900, movimento coletivo em defesa da vida. A luta para ter as necessidades básicas e fundamentais atendidas não vem de hoje.

Movimento ecológico na dácada de 80 na Praça H.
Tudo isso faz do Jardim Sulacap ser único e marca a trajetória da região.

Conheça a história da região e do bairro


1990 - Comemoração e manifestação em prol do meio ambiente

Um Jardim melhor para viver e conviver ou tudo como está agora?
A nossa história importa. Porém, o passado, ainda que importante e valioso, não é tão importante e valioso quanto a história que podemos escrever agora de forma consciente e sensível para o lugar que vivemos.
Nós da JSBS acreditamos que os moradores juntos podem tornar o bairro melhor para se viver e conviver.
Preferimos um lugar para viver tranquilo, verde, limpo, bonito, recreativo, seguro, resiliente a alagamentos e que produza alimentos sem veneno do que deixar tudo como está neste momento.

Para que tenhamos um bairro melhor para viver e conviver, NÓS SULACAPENSES DE CORPO, ALMA E ESPÍRITO temos o dia de hoje e é hoje que começa tudo que está para acontecer. A vida é bela. Vamos em frente!

Fontes

ALMANAK ADMINISTRATIVO, MERCANTIL E INDUSTRIAL DO RIO DE JANEIRO, ano de 1891 a 1940.  Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, vol. 1, p. 505. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=313394&pagfis=107869&pesq=&esrc=s. Acesso em: 30/8/2012.

ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO. Inquisição de Lisboa, Processo de Ana de Paredes. Disponível em: http://digitarq.dgarq.gov.pt
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO. Inquisição de Lisboa, Processo nº 4952 de Inês de Paredes. Disponível em: http://digitarq.dgarq.gov.pt.

BRASIL. Ata da Assembleia Geral da The Brazil Syndicate, de 1922.  Proposta para aumento de capital social. DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeirode 1/9/1922. Seção 1, p. 17477. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2011170/dou-secao-1-01-09-1922-pg-67/pdfView.
BRASIL. Ato do Diretor do Departamento de ParquesProcesso nº 7.900.763-52 aprova projeto de arborização e ajardinamento para os logradouros do Jardim Sulacap. DIÁRIO OFICIAL da União, Distrito do Rio de Janeirode 23/12/1952. Seção 2, p. 11124. Disponìvel em: http://www.jusbrasil.com/diarios/2906241/pg-32-secao-2-diario-oficial-da-uniao-dou-de-23-12-1952/pdfView.

BRASIL. Escritura da sociedade anônima Cia. Suburbana de Terrenos & Construções, de 1958.  DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeirode 18 de agosto de de 1928. Seção 1, p. 19311-19313. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2109136/pg-53-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-18-08-1928/pdfView.
BRASIL. Expediente do diretor do Patrimônio Nacional. Devolve processo nº 834, de 10 de agosto, de Altino Gomes Pereira e outros lavradores da Fazenda dos Afonsos. DIÁRIO OFICIAL da União, Distrito do Rio de Janeirode 14/11/1932. Seção 1, p. 20854. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2293733/pg-22-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-14-11-1932.
BRASIL. Extrato de Estatuto da Associação dos Amigos do Jardim Sulacap, de 1958DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeiro, de 24 de julho de 1958. Seção 1, p. 16612. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2821488/pg-92-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-24-07-1958.
BRASIL. Extrato do Estatuto da União Beneficente dos Lavradores da Fazenda dos Afonsos, de 1929DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeirode 31/05/1929. Seção 1, p. 12691. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/1975320/dou-secao-1-31-05-1929-pg-89/pdfView.

BRASIL. Relatório da Diretoria da Sul América Capitalização, de abril de 1947. DIÁRIO OFICIAL da União, Distrito do Rio de Janeiro, 5 abril de 1947. Seção 1, p. 4623. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2278859/pg-55-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-05-04-1947
BRASIL. Relatório da Diretoria da Sul América Capitalização, de março de 1949. DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeiro, de 22/03/1949. Seção 1, p. 4173. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2349758/dou-secao-1-22-03-1949-pg-37/pdfView. 
BRASIL. Relatório da Diretoria da Sul América Capitalização, de março de 1950DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeiro, de 24/03/1950. Seção 1, p. 4489. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2394373/dou-secao-1-24-03-1950-pg-61/pdfView.
BRASIL. Relatório da Diretoria da Sul América Capitalização, de março de 1950DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeiro, de 26/03/1952. Seção 1, p. 4938. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2440231/dou-secao-1-26-03-1952-pg-66/pdfView.
BRASIL. Termos de doação de terrenos para abertura de logradouros e construção de prédios que a Sul América faz à Prefeitura do Distrito Federal, em maio de 1951DIÁRIO OFICIAL da União, Rio de Janeiro5 de junho de 1951. Seção 2, p. 5188 a 5190. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2542673/dou-secao-2-05-06-1951-pg-25/pdfView.


CAMPOS, Fabio Soares. A origem da Vila Militar – RJ. Disponível em: http://www.administradores.com.br/informe-se/producao-academica/a-origem-da-vila-militar-rj/4594/download/. Acesso em: 12 de julho de 2011.

CHAMBOULEYRON, Rafael e ARENZ, Karl-Heinz (orgs.) Dimensões do catolicismo português Anais do IV Encontro Internacional de História Colonial. Belém: Editora Açaí, volume 3, 2014, p.15. Disponível em: http://www.ufpa.br/pphist/documentos/Vol.%203%20-%20Dimens%C3%B5es%20do%20catolicismo%20portugu%C3%AAs.pdf
COSTA, Adenil Moreira. Zona oeste: a opção para o crescimento do Rio de Janeiro - Panorama dos ciclos de gestões públicas sustentáveis. Rio de Janeiro: Edição própria, 2005.
CUNHA, Waldir da; e DAMASCENO, Darcy.  Os manuscritos do botânico Freire Alemão. Catálogo e transcrição. Anais da Biblioteca Nacional, vol. 81, 1961.  


FRÓES, José Nazareth de Souza. Terras realengas. Rio de Janeiro: Conselho das Instituições de Ensino Superior da Zona Oeste, 2004.

GORENSTEIN, Lina. A inquisição contra as mulheres: Rio de Janeiro, séculos XVII e XVIII. São Paulo: Associação Editorial Humanitas: Fapesp,  2005, p. 179. Disponível em: https://books.google.com.br/books/about/A_Inquisi%C3%A7%C3%A3o_contra_as_mulheres.html?id=brH-Nk2CNLAC


GRAHAM, Maria. Diário de uma viagem ao Brasil e de uma estada nesse país durante parte de 1821, 1822 e 1823. São Paulo: Brasiliana, 1956:313-315. Disponível em: http://www.brasiliana.com.br/obras/diario-de-uma-viagem-ao-brasil-e-de-uma-estada-nesse-pais-durante-parte-dos-anos-de-1821-1822-e-1823/pagina/315/texto.

HOWARD, Ebenezer. Cidade-jardins de amanhã. [Introd. Dacio A.B. Ottoni; trad. Marco Lagonegro] São Paulo, Hucitec, 2002. Disponível em: http://books.google.com.br/books?id=aTjH3-4qUwkC&pg=PA37&hl=pt-BR&source=gbs_toc_r&cad=4#v=onepage&q&f=false. Acesso: 10/08/2012.

HASSENPFLUG, Dieter. Sobre centralidade urbana. 2007. Disponível em: http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/08.085/235


MARTINS, Ronaldo Luiz. Mercadão de Madureira: Caminhos de Comércio.  Rio de Janeiro: Condomínio do Entreposto Mercado do Rio de Janeiro, 2009, p.19. Disponível em: http://www.mercadaodemadureira.com/e-book-mercadao-de-madureira.pdf. Acesso em: 01/02/2012.
MRS Estudos Ambientais. Estudo de Impacto Ambiental – EIA para obras de implantação Corredor Viário Transolímpico. Rio de Janeiro, maio de 2012, p. 438. Disponível em http://p-web01.mp.rj.gov.br/Arquivos/RAP/EIA_TRANSOLIMPICA.pdf. Último acesso: 23/4/16.
MULLER, P. James. Império do Brasil. Disponível em: http://imperiobrazil.blogspot.com.br/2010/06/historia-e-evolucao-da-cidade-do-rio-de.html

NOBRE, Paulo José Lisboa. Patrimônio-paisagem: função social da cidade. Estud. pesqui. psicol.,  Rio de Janeiro ,  v. 7, n. 2, dez.  2007. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-42812007000200012&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em  19  abr.  2016.


PAIM, Antônio. O empreendimento açucareiro no Brasil colonial. São Paulo, 2010. Disponível em: http://www.cdpb.org.br/o_empreendimento_aucareiro.pdf
PEDROZA, Manoela da Silva. Engenhocas da moral: uma leitura sobre a dinâmica agrária tradicional (freguesia de Campo Grande, Rio de Janeiro, século XIX). Campinas, SP: [s. n.], 2008: 39-199 a 203.

PEREIRA, Ana Margarida Santos. “Por comprazer a su pay” Afrodescendentes, Judaísmo e inquisição no bispado do Rio de Janeiro (sécs. XVII-XVIII).  Universidade van Amsterdam. Disponível em: http://www.catedra-alberto-benveniste.org/_fich/15/Ana_Margarida_Santos_Pereira.pdf

PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO. Acervo Carlos LacerdaInauguração do mercado Jardim Sulacap... Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro (AGCRJ), Rio de Janeiro, 1 de agosto de 1963. Disponível em: http://www0.rio.rj.gov.br/arquivo/pdf/fitas_cassete/fitas_carlos_lacerda_1_100.pdf. Acesso em: 09/12/2012

PREFEITURA DO DISTRICTO FEDERAL; AGACHE, A. Cidade do Rio de Janeiro: Extensão- Remodelação-Embellezamento. Paris: Foyer Brésilien,1930, 151-152.   Disponível em: http://planourbano.rio.rj.gov.br/DocReadernet/docreader.aspx?bib=PlanoUrbano&pesq=
PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO. Estrada Real de Santa Cruz. Rio de JaneiroPortal Augusto Malta, s/d (Comunicação visual). Disponível em: http://portalaugustomalta.rio.rj.gov.br/acervo-obra/662-estrada-real-de-santa-cruz




RIO DE JANEIRO. Estudo de impacto ambiental estudo de impacto ambiental - EIA para as obras de implantação corredor viário transolímpico - Vol. 1. Rio de Janeiro: MRS, 2012, p. 433. Disponível em: http://p-web01.mp.rj.gov.br/Arquivos/RAP/EIA_TRANSOLIMPICA.pdf

SOLATELIE. Síntese histórica do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças - 31 Voluntários.  Disponível em: http://solatelie.com/cfap/opm/cfap.html.


VIANA, Claudius Gomes de Aragão. História, memória e patrimônio da Escola Militar do Realengo. Dissertação (mestrado). Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC). Rio de Janeiro: FGV/CPDOC, 2010. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/6661/CPDOC2010ClaudiusGomesde%20AViana.pdf?sequence=1

5 comentários :

  1. Gostaria de saber o responsável pelo trabalho, pois sou formado em história e achei muuuito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Álvaro, fiquei imensamente feliz por ter gostado do trabalho. Em breve irei postar mais alguns detalhes.
      Enviei uma mensagem para o seu e-mail.

      Um forte abraço,
      Emilson

      Excluir
  2. Sou morador aqui do bairro a 10 anos e nunca achei uma história tão detalhada e completa quanto essa. Está de parabéns, gostei muito !

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante seu texto. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Amauri,
    Muito obrigado pela visita e elogio.
    Espero que também curta outras páginas do blog. Sinceramente são pessoas como você que me inspira.

    Volte sempre! Um abraço,
    Emilson

    ResponderExcluir