(21)99125-6012

Grupo que dá vida à sustentabilidade.

Não tem mágica, são pessoas trabalhando bem em conjunto.

Imagine o futuro que você quer.

Promova possibilidades positivas.

Cultura local de cuidado.

Movimento em prol de um bairro melhor.

29 fevereiro, 2016

PENSE DE NOVO!


Inovar é combinar ideias, conhecimentos. Não é um conhecimento OU outro, mas conhecimento E outros conhecimentos. Pense de novo!


A vida é dirigida pelo que pensamos e, por isso, precisamos pensar sobre novos hábitos e atitudes. 

É preciso olhar todos os caminhos, pois nem todos levam para uma vida sustentável. Quando isso é feito, nos transformamos e agregamos valor em tudo que fazemos.

Assim, até as árvores e animais acabarão batendo palmas.

Pense de novo!


Por um Jardim Sulacap em que as pessoas aliem suas ideias, conhecimentos, atitudes, atividades econômicas com a conservação ambiental e com os serviços sociais, sem omitir a prática de respeito aos outros e a prática de responsabilidade para com as pessoas e para com o meio ambiente.

27 fevereiro, 2016

Eleições de 2016 – sistema político faz parte do ecossistema

O futuro sustentável exige coesão dos moradores

Assim como o sistema ecológico, o social e e o econômico, o sistema político faz parte do ecossistema. Não podemos ignorar isso. Quer queira ou não, o prefeito e os vereadores fazem parte da diversidade que compõem o ecossistema.



Precisamos de vozes e quanto mais diverso for, mais rico é o ecossistema. Precisamos de vereadores, por exemplo, que votem a favor das ações sustentáveis no bairro. São grandes compromissos que colocamos para nossos futuros governantes, como: recuperar e reintegrar áreas remanescentes da Transolímpica; e garantir ações que reduzam proliferação de pragas (mosquitos Aedes, ratos, etc.), reduzam efeitos das alterações microclimáticas e evitem a ocupações e usos irregulares das áreas.

Portanto, não é nada interessante e nem inteligente votar em qualquer candidato ou em branco, justificando que todos os políticos são iguais.  Se somos uma comunidade inteligente, temos que mostrar maturidade na escolha dos candidatos e acompanhar as suas evoluções. Qualquer cidadão, por exemplo, pode pedir informação sobre as ações e decisões de projetos na Câmara do Rio de Janeiro.

Faça parte da solução. Temos que ter coesão, rumo a um mesmo objetivo. Quem não ajuda ajuntar, espalha. Portanto, não escolha só reclamar, isso pode estar impedindo de muita gente de ser feliz com a vida, inclusive você.

O momento de agir para o futuro sustentável é agora. Temos que responder muitas questões emergentes, como as enfermidades e doenças do mosquito Aedes, alterações climáticas, insegurança pública, desemprego e queda na geração de renda. Reconheça, não dá para pensar só em nosso quintal e adiar ações em resposta aos problemas que afetam todos nós hoje.

Porém, temos que fazer o nosso dever de casa, escolher bem quem vai ficar responsável em defender nossos interesses até o fim, pois não queremos que alguém atrapalhe decisões importantes e leve a bancarrota todo o trabalho que realizamos juntos. E, com isso, desviando o bairro do rumo a um futuro mais sustentável.


Moradores, o que está em jogo nas eleições é nossa vida. Assumam compromisso com o presente e com futuro sustentável do Jardim Sulacap.

MOBILIZAÇÃO E COMUNICAÇÃO

A JSBS é a maior e mais completo canal de comunicação sobre o Jardim Sulacap. 


Buscamos, com esforços e sacrifícios, trazer informações importantes sobre problemas, oportunidades e potenciais do Jardim Sulacap. Além de propor ações para evitar ou reduzir impactos negativos sobre nossas vidas.

Fazendo isso, o JSBS mostra que está comprometida com o fortalecimento da mobilização dos moradores em favor, por exemplo, da educação para a sustentabilidade, da economia sustentável e do meio ambiente saudável para o bem de todos nós.

Temos consciência que o desenvolvimento do Jardim Sulacap depende de informações organizadas e disponibilizadas a todos. Sem informações importantes, não geramos entendimento, conhecimento e, com isso, a transformação que desejamos e precisamos não ocorre.

25 fevereiro, 2016

Mobilização da Comunidade

Já sabem montar o jogo da vida?


A sustentabilidade urbana é como um imenso quebra-cabeça, onde as pessoas devem agir conscientemente relacionadas uma com as outras para encaixar as partes que faltam. É um jogo de muitas peças e não tem tempo para acabar. 
As questões urbanas são muitas, como a mobilidade acessível é uma parte, a recuperação das áreas degradadas é outra e a geração de empregos verdes é outra parte do quebra-cabeça. Por isso, é preciso de um conjunto de ações rumo a um mesmo propósito.
Não há jogo perdido. Sabemos que a vida só termina quando acaba. Não empurre, portanto, para próxima geração o jogo que você deveria estar ajudando a montar hoje. Sem a comunidade unida o jogo da vida está parado, lento ou sendo mal montado. É, de fato, a geração presente que decide o resultado do jogo da vida.
Afinal, qual é o futuro feito por pessoas de braços cruzados sonhando com perfeição e que vivem reclamando?

Áreas que estão esperando as boas práticas

Além da área de conservação da Pedra Branca, dos terrenos baldios da Aeronáutica, as áreas remanescentes da Transolímpica estão esperando ansiosamente ações sustentáveis para transformá-las em áreas agradáveis, como pomares e hortas urbanas.



Temos que transformar o mundo em uma rede social diferente. Cada pessoa, empresa ou igreja tem muito a contribuir com o que sabe para melhorar o nosso mundo. 
Além de curtir, você pode compartilhar boas experiências. É o que acontece quando alguém fica satisfeito com a visita que fez a um lugar, adquire novos conhecimentos e recomenda aos amigos que tenham também a mesma experiência.

É uma rede social que vale apena experimentar. Além de alegrar os nossos dias e trazer um pouco de paz, até as árvores baterão palmas. Sem dúvida trará boa reputação para todos e também um sinal de esperança.

24 fevereiro, 2016

Investir na conservação e recuperação ambiental gera empregos verdes

Ação de conservação e recuperação do meio ambiente não é só bom para saúde, mas  também para o bolso.


Investir em ações de conservação e recuperação das áreas degradadas, ociosas ou não utilizadas do bairro não é só bom para saúde das pessoas, mas também é um bom negócio, representa um retorno econômico garantido.


Emprego verde é o trabalho descente, pois exige ambiente saudável e preservado, condições sociais e dinheiro pelo fruto do trabalho, além de condições de liberdade, igualdade, segurança e dignidade humana.


Precisamos ser capazes de mostrar os benefícios econômicos que as áreas verdes do Jardim Sulacap são capazes de oferecer.

Muita gente já entendeu que o meio ambiente saudável é bom para o bem-estar e qualidade de vida. 
Porém, se não formos capazes de apresentar contribuição econômica das áreas verdes, como a área de conservação da Pedra Branca, os imensos terrenos baldios da Aeronáutica e as áreas remanescentes do BRT, vão prevalecendo as perspectivas enviesadas de que gastar dinheiro em conservação e recuperação ambiental não é um bom negócio, só atrapalha o crescimento econômico. E isso não é verdade.

A JSBS trabalha por um futuro em que as pessoas aliem a geração de renda com a conservação e o bom uso dos serviços ambientais, sociais e da estrutura urbana e com práticas de respeito à vida e de responsabilidade socioambiental. Gerar emprego e renda, sem omitir as outras condições vitais para a vida.

22 fevereiro, 2016

Casa rachada é uma ameaça ao bem-estar e à sustentabilidade de todos

Quem não ajuda ajuntar, espalha. A sua participação faz a diferença.


Jardim Elisa, Centro do Bairro (Pça. Mário Saraiva), Pça. H, Residencial Fazenda dos Afonsos (Loteamento) e Catonho. Não há vantagem nenhuma a população rachada.

Para resolver problemas comuns, precisamos de um bairro só, o Jardim Sulacap
Precisamos trabalhar em conjunto como uma comunidade, colocando em ação nosso gênio coletivo para termos um impacto maior em grupo do que sozinhos como indivíduos.
Trabalhar juntos com um só coração e um só propósito não significa perder criatividade e deixar de inovar.

União de vozes pelo Jardim Sulacap! Pois, os desafios que temos que enfrentar exige o conhecimento e trabalho de todos como um corpo só em favor da sustentabilidade.

15 fevereiro, 2016

Renda não é suficiente sem serviços socioambientais e práticas sustentáveis

Conciliar geração de renda com práticas sustentáveis é desafio para o futuro do bairro Jardim Sulacap.

A renda média familiar do bairro foi de R$ 4.195,00 em 2010. No período, 88 % dos moradores tinham um modo de vida capaz de assegurar suas necessidades básicas (moradia, comida, transporte, entre outros).
Porém, renda não é suficiente sem os serviços sociais e ambientais, como geração de ar puro, captura de CO2, descarte e coleta adequado de lixo, segurança pública, educação e tratamento de águas fluviais. Não faz diferença, pois as mesmas coisas ocorrem com quem tem renda alta ou baixa.
De nada adianta ter renda se todos estão sujeitos a sofrer todo tipo de violência, injustiça, desrespeito e a serem assaltados assim que pisarem na rua.
Todos sofrem! Tudo acontece a todos. Todos nós repartimos um futuro comum.
De nada adianta ter renda e morar numa mansão se tudo ao redor é um lixão, um ambiente insano e insalubre.


O mosquito Aedes da dengue, do zica, chikungunya está para todos. Assim como está os efeitos das mudanças do microclima e das emissões de CO2 na região.
Muitos moradores sabem o que é poder viver cercado de bens de consumo e, ao mesmo tempo, sob a frequente ameaça de perder tudo numa enchente. 


Além de saber gerar renda temos que ser capazes de conservar os serviços sociais oferecidos pela gestão pública e conservar, recuperar os serviços ambientais oferecidos pela natureza. 
A renda é proteção, mas não devemos omitir os serviços socioambientais e nem, muitos menos, deixar de praticar o respeito, a justiça, a responsabilidade para com as pessoas e para com o meio ambiente ao nosso redor. Não precisamos esperar as coisas ficarem pior para agir.

Os problemas são de todos e não dá para uma pessoa ou organização resolver tudo sozinha. Por isso tudo, é preciso agora ajuntar forças (moradores, empresas, universidades, governos, associações, ONG’s e outros). Se cada família hoje pensar além do seu quintal e contribuir para que todos caminhem juntos rumo a um bairro mais equilibrado, usufruiremos melhor das coisas que compramos com o suor do trabalho ao invés de caminhar rumo a um futuro incerto, com graves consequências.

Pequenas histórias - As boas práticas do passado servem para serem usadas hoje e os erros para refletir e voltar para o caminho que nos ajude no futuro 

No passado, nos anos 1700, com toda riqueza e prestígio a família dos Afonsos sofreu com a terrível crueldade da Inquisição. A maldade do tribunal estava para com todos os primeiros moradores da região.

Nos anos 40-50, foi criado e construído um bairro jardim de classe média que alia serviços sociais com uma infraestrutura verde (praças, jardins, canteiros), que permite a cada família conciliar suas rendas com as práticas de conservação socioambiental e com as práticas de tolerância, justiça, respeito e de responsabilidade para o futuro que queremos e precisamos.