(21)99125-6012

Parque da Floresta da Pedra Branca                                                                                              

O Jardim Sulacap tem um grande patrimônio verde que precisa ser bem cuidado. 


Jardim Sulacap é um bairro verde planejado no coração da cidade que tem como riqueza sulacapense um pouco mais da metade (52%) do seu território de 786,92 hectares é o colosso verde Parque Estadual da Pedra Branca (criado pela Lei Estadual nº 2.377, de 28 de junho de 1974), Patrimônio da Humanidade e Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, declarada pela Unesco em 1992.

Fonte: Trilhas: Parque Estadual da Pedra Branca.




Em 1933, o conservacionista e escritor do livro Sertão Carioca Magalhães Corrêa defendeu a ideia de que a zona agrícola Fazenda dos Afonsos - "Patrimônio Nacional" - fosse transformada em Parque Nacional. A criação do parque iniciou em abril de 1963, pelo Decreto nº 1.634, mas somente em 1974 o Parque Estadual da Pedra Branca foi criado, através da Lei Estadual nº 2.377.

Fonte: Guia Digital do Maciço da Pedra Branca.
Compreendendo área acima da altitude de 100 metros, o PEPB ocupa cerca de 10% do território do município do Rio de Janeiro. No Jardim Sulacap, ocupa 4.414.400 (52,28%) da área total do bairro.
Limites do PEPB em Jardim Sulacap. Fonte: Legislação bairro a bairro.

A Unidade de proteção integral tem como objetivo básico preservar ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, pesquisas científicas, desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, recreação em contato com a natureza e turismo ecológico. 

Área de proteção integral faz do Jardim Sulacap ser uma grande zona rural 

O Jardim Sulacap é mais rural do se imagina, uma vez que o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC - art. 49 da Lei 9985/2000) considera a área de proteção integral zona rural.


Mapa das UCs que compõem o Mosaico Carioca. Fonte: INEA.
APA Valqueire
O Morro do Valqueire é uma área de proteção ambiental (APA), criada pela Lei n.º 3.313 de 4 de dezembro de 2001, onde é permitido preservar as espécies raras ou ameaçadas de extinção da fauna e da flora; preservar e recuperar a cobertura vegetal nativa existente; desenvolver o estudo e pesquisa da fauna e flora; desenvolver a educação ambiental; viabilizar a criação de parques municipais; e estimular as atividades de lazer quando compatíveis com os demais objetivos da Área de Proteção Ambiental. 
APA Morro do Valqueire (Fonte: http://mapas.rio.rj.gov.br/#).
APA Cachambi 
O Morro do Cachambi é outra APA do bairro criada em 02/10/2007 pela Lei nº 4.659/2007 para assegurar a preservação da característica do Bioma Mata Atlântica na região.

APA da Pedra Branca

Esta APA foi criada pela Lei Municipal nº 1.206 de 1988.

Parque do carbono
O Parque do Carbono é uma área onde empresas, escolas, igrejas e pessoas podem abater suas emissões de carbono na região, ajudando a reduzir o calor, evitar enchentes, preservar as nascentes, além de tornar o ambiente mais agradável com suas cores, cheiros e sombras e promover empregos verdes.

Impactos negativos no PEPB
O Parque da Pedra Branca está impactado por práticas turísticas e esportivas predatórias, conversão da floresta em área de pastagem, exploração ilegal de saibro, plantas invasoras, incêndios, entre outros impactos. Sem cuidado, muitos riachos secaram. 



Adaptado do G1.

Porém, ainda é possível cuidar desse patrimônio de imenso valor para todos nós.
Sonho:
No pé do Parque da Pedra Branca. Fotomontagem.
O que JSBS faz para conservar esse patrimônio verde?
  • Divulga informações ambientais e culturais;
  • Gera conteúdo para conscientizar, sensibilizar, motivar e mobilizar pessoas para conservar e recuperar áreas verdes e espaços livres;
  • Incentiva à criação de um parque ecológico. O que significaria espaço adequado para turismo ecológico, agricultura sustentável, educação ambiental, pesquisa científica, monitoramento e fiscalização (controle da área de preservação e de explorações de recursos naturais na unidade de proteção);
  • Investe recursos próprios (esforços, tempo, dinheiro, materiais, espaço) para que todos conservem boas relações entre si e com o ambiente local, em prol das pessoas que estão vivas hoje e das futuras gerações que ainda virão.
O que você pode fazer
  • Participe das reuniões da associação de moradores;
  • assine as petições de interesse coletivo;
  • envolva seus vizinhos, amigos na promoção de mutirões de embelezamento do bairro;
  • Atue nos projetos socioambientais do Jardim Sulacap;
  • Monte comissão para acompanhar obras de relevância;
  • questões levantadas por um grupo de moradores e amigos de bairros vizinhos podem ser discutidas num lugar (físico e/ou virtual) comum onde ninguém será hostilizado por expor, compartilhar ideias, experiências e inovações;
  • Proteja as áreas verdes e espaços livres ao seu redor;
  • Não pare com o seu carro na calçada ou em cima de uma praça;
  • não compre saibro de exploração ilegal. Certifique a origem, pois pode ser da extração predatória de saibro do Catonho;
  • Participe e apoie eventos locais que promovam uma vida mais harmoniosa com as pessoas e com a natureza;
  • Divulgue a história e a floresta local, visando despertar o sentimento de pertencimento principalmente das crianças. Com isso, ganhar mais guardiões para que o Parque seja mais bem cuidado.
Somar forças. Participe!

0 comentários:

Postar um comentário